quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Aula #004 - Desenho - Prof. Fabio

quarta-feira, 1 de outubro de 2008
Capa de um dos meus cadernos de desenho © Fabio Vicente - 2007

Uso dos lápis - diferenciando os tipos

As escalas F, H e B correspondem a graus diferentes de dureza de grafites.

Encontramos essas graduações nos lápis, nas minas de grafite para lapiseiras e nos bastões de grafite integral.

A rigor, grafite é pra riscar e ponto final. Tem desenhista que usa apenas um tipo de lápis e se vira bem no desenho, portanto a escala serve, principalmente, para acabamento.

O F é o grafite mais duro... por mais que se ponha força no traço ou na sombra aplicada o resultado é uma tonalidade cinza clara. Também pelo grau de dureza é um grafite que marca muito o papel, sendo inadequado para esboço. É usado em trabalhos que necessitem precisão: bem apontado é bastante usado em desenho geométrico, geometria descritiva, desenho técnico e perspectivas técnicas (cavaleira, isométrica, militar, explodida e cônica).

A Família H é uma família intermediária, de grafites duros à médios. Quanto maior a numeração, maior o grau de dureza: Ex. 6H - muito duro; 2H - menos duro.Muitos deles também são (ou eram) usados na área técnica (porque com os CADs da vida, a prancheta está morrendo aos poucos...), pela facilidade de apagar e pelos traços não serem muito fortes para construções.

Existe o intermediário entre esta família e a família B, o HB.

Também conhecido como lápis número 2 (sim, aquele que a gente usa na escola!) é o grafite de uso mais comum. Como está no ponto intermediário entre os lápis duros e os macios é o mais utilizado para escrita e para esboços, porque permite um escurecimento razoável quando pressionado sobre o papel, marcando menos que os da família H. Num caso de se precisar apagar quanto menos se marcar o papel melhor. Por isso é o lápis mais indicado para esboços (Roughs, Sketches... seja lá qual for o nome que você dê para os estudos iniciais).

Por fim, a família B, os mais macios usados para acabamento. Quanto maior o número, maior o grau de maciez. O 2B é muito usado para estudos porque sua maciez permite sombreamento e não é tão difícil de apagar. Acima de 3B são muito macios e borram quando se apaga. O limite da maciez é o 9B - eu nunca passei do 6B...

Eu acho que só de olhar ele se esfarela... hehehe...

Mas os mais macios são perfeitos para sombreamento pois soltam mais pó de grafite no papel, permitindo o esfumaçamento.
Em linhas gerais é isso. Recomendo o uso, para quem quer descobrir os recursos das famílias de grafite, de três ou quatro variações de grafites num mesmo desenho (ex: HB - linhas finas e pequenos detalhes, 2B - sombras claras e texturas à traço, 4B - sombras médias, áreas de ligação e esfumaçamento e 6B - degradês onde é necessário a tonalidade mais escura e traços grossos e fortes).

Conselho: treine antes cada um deles experimentando traçados, escalas tonais, apagar e esfumaçamentos. A partir daí escolha os que você melhor se adapta.

11 comentários:

Thiago Neutron

Prof. Fábio, suas aulas estão muitos boas! Espero que continue para que eu possa acompanhar!!!

Um abraço
Thiago

maurouebe

Agradeço a atenção!

Quando o material estiver pronto, lhe enviarei. Não se preocupe quanto a fonte e o Copyright, conforme dito anteriormente, serão citados. Quanto ao comercializar, não seria eu se estivesse fazendo isso, é uma prazer para mim poder juntar esse material e distribuir àqueles que farão dele uso promissor.

Saudações!

ps. Quantas aulas serão ao todo?

Fabio Vicente

Marouebe,

Ainda não pensei num total...
Aliás estou montando tudo de uma maneira bem intuitiva...
os três dígitos (Ex: #004) são excesso de otimismo... hehehehe...
Mas enquanto o tema não esgotar e eu tiver tempo estarei postando por aqui. Quem sabe isso vira um livro, futuramente?
Quanto à venda, não foi recado específico pra você, mas é sempre bom a gente deixar claro. Vai que alguém tem a infeliz idéia?
Abraço, apareça sempre e pode distribuir a boa nova aos quatro ventos... hehehehehe...
Tudo de bom!

Bruno

Muito legal a idéia!
Parabéns pela iniciativa!
Era o que tava faltando pra muita gente por ai!!!

Fabio Vicente

Bruno,

Acho que muita gente fica escondendo o ouro...
O que eu estou fazendo não dispensa, em absoluto, a procura por um bom curso de desenho. A gente quando tenta aprender sozinho dá muita cabeçada e se enche de vícios... Então não me custa nada, e não vai tirar emprego de ninguém (o meu, inclusive) compartilhar um pouco do que eu aprendi.
Obrigado pelo elogio e apareça sempre!

Elaine

Olá prof. Fábio,

Comecei hoje a aula e estou gostando muito,lendo tudo e fazendo o exercécio.

Estou na espectativa de um dia poder desenhar um pouquinho, faço pintura em tela e um pintor me disse que em primeiro lugar eu tenho que aprender a desenhar bem.

Agradeço e um abraço
Elaine

Fabio Vicente

Elaine,

Bom proveito das aulas... e procure postar seus comentários e dúvidas a cada aula que você for fazendo, para que a gente possa fazer esse blog cada vez melhor e mais útil.

Abraço!

Juliane Reis

Eu tenho um lapis q eh todinho de grafite, pra q ele serve?

Fabio Vicente

Juliane,

O lápis todo de grafite, conhecido como Grafite Integral, é um lápis como qualquer outro e pode ser usado numa boa pra desenhar normalmente. A maior vantagem é pra se aplicar sombreado, umavez que ao deitar o lápis a superfície de contato com o papel é bem maior.
Desculpe pela demora em responder...
Abraço e continue acessando!

Eduardo

prof. fabio qual é seu
lápis preferido
a e suas aulas são ótimas
Abraço
eduardo

Fabio Vicente

Eduardo,

Lápis é lápis... e qualquer um serve pra desenhar... mas os da Kooh-i-Noor são fantásticos!

Abraço!

 
Arte Seqüencial, o blog ◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates